Notícias

Yossi Shelley – Embaixador de Israel no Brasil: “Nós Lembramos”

26.01.2018

Holocausto”, palavra de origem grega que significa sacrifício pelo fogo, nos remete a um dos períodos mais sombrios da humanidade. Entre 1939 e 1945, milhões de pessoas, entre eles ciganos, deficientes físicos e mentais, e cidadãos do Leste Europeu foram brutalmente assassinados ao lado de seis milhões de judeus.

Na Alemanha nazista do século XX, a política de extermínio de judeus era baseada no conceito de raça ariana. Para Adolf Hitler e seus companheiros, todos os grupos considerados “inferiores” deveriam ser eliminados. Esta “solução final” criada pelos nazistas resultou na aniquilação de um terço da população judia, tratada como sujeira humana.

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, 27 de janeiro, foi instituído pela resolução 60/7 da Assembleia Geral das Nações Unidas. A data marca a liberação do maior campo de extermínio nazista, Auschwitz-Birkenau, há 73 anos.

Apesar de o povo judeu ter pagado um preço inconcebível durante anos de perseguição, nós escolhemos nos levantar. Nos levantamos e em 1948 construímos o Estado de Israel.

Também escolhemos lembrar. Lembrar, nunca esquecer e trabalhar para que a história nunca mais se repita. E para que isto aconteça, precisamos valorizar a educação. Precisamos falar constantemente sobre o Holocausto e explicar sobre as atrocidades cometidas às futuras gerações. Além de ouvir falar do que aconteceu, as pessoas precisam entender. É só assim que irão perceber o perigo de se repetir uma história baseada em ódio, xenofobia e discriminação racial.

E depois, o que é preciso ser feito? Além de ouvir e entender, é essencial questionar. Na época das atrocidades, a maior parte do povo alemão não perguntou o suficiente. Por quê? Nós, como seres humanos, temos a obrigação de questionar. Fomos programados para isto. A democracia surge da possibilidade de perguntar. Uma mídia livre e sem censura também. Nosso poder de perguntar nos dá liberdade e possibilidades. Possibilidade de entender o que acontece ao nosso redor e possibilidade de mudar o futuro.

Manter vivas as lições do Holocausto não cabe apenas aos governos ao redor do mundo, mas a cada um de nós como cidadãos. Todos temos responsabilidades mútuas em uma escala global. É nosso dever trabalhar juntos para melhorar as circunstâncias de vida ao redor do mundo e criar um ambiente onde a possibilidade de que a história se repita diminua cada dia mais.

É importante lembrar que, mesmo durante toda a escuridão, houve uma pequena luz. Corajosos se manifestaram e deram um sinal de esperança. Um exemplo disso são os diplomatas brasileiros Luiz Martins de Souza Dantas e Aracy Guimarães Rosa, que auxiliaram judeus na Europa a conseguirem vistos para o Brasil. Os dois foram reconhecidos pelo Yad Vashem, Museu de História do Holocausto, e receberam o título de Justo Entre as Nações.

Como cidadão israelense e judeu orgulhoso, me sinto honrado em representar Israel no Brasil. Também me orgulho em falar que talvez a melhor resposta à “solução final” nazista tenha sido a criação do Estado de Israel, que completa 70 anos em abril.

Israel, o lar da nação judia que floresce das cinzas, se dedica a achar soluções para as mais urgentes necessidades de pessoas ao redor do mundo — segurança alimentar, problemas relacionados a água, segurança pública, educação e saúde. E prometemos continuar usando nosso bem mais valioso — nossas mentes — para honrar a memória dos milhões de judeus assassinados.

Nós lembramos.

 

Yossi Shelley é embaixador de Israel no Brasil – publicado no O Globo

Leia Mais

FIRS participa da Mesa Diretora do Pacto Alegre

A FIRS participou, na última terça-feira (26), de reunião do movimento Pacto Alegre, que visa transformar Porto Alegre em...

Leia mais

29.03.2019

Comunidade Judaica convida estudantes para Feira das Universidades Israelenses

Estudantes de Porto Alegre tem atividade confirmada para ampliação do currículo profissional e acadêmico. No dia 10 de abril,...

Leia mais

29.03.2019

Novo júri de três acusados por ataque a judeus em 2005 é realizado em Porto Alegre

Começou na manhã desta quinta-feira (21) o novo júri de mais três acusados de atacar um grupo de judeus no bairro...

Leia mais

22.03.2019

Federação Israelita do Rio Grande do Sul lamenta atentado à Mesquitas na Nova Zelândia

Com profundo pesar, a Federação Israelita do Rio Grande do Sul manifesta suas condolências aos familiares e vítimas do...

Leia mais

22.03.2019

FIRS recebe secretário de Ciência e Tecnologia

Na manhã de sexta-feira, 15 de março, a diretoria da Federação Israelita do Rio Grande do Sul (FIRS) recebeu...

Leia mais

22.03.2019