Blogs

Marcos Weiss Bliacheris

O Líder Gago

26.04.2016

Liderança é assunto muito popular e estudado nos dias de hoje. Certamente, se formos pensar nas principais características de um líder de sucesso se falará na boa comunicação, a assertividade, a clareza em se expressar.

Aposto uma caixa de matzá que ninguém falaria que a gagueira estaria na lista das qualidades de um líder. Pelo contrário, aposto duas caixas de matzá que as empresas modernas, que se dizem tão abertas à diversidade, fugiriam de um líder gago.

Pois Moisés, o maior líder do povo judeu, era gago. Ou, em suas exatas palavras, pesado de boca e de língua. Até hoje nossos sábios discutem o que exatamente quer dizer esta expressão, mas a interpretação mais aceita foi a da gagueira.

Ciente de suas limitações, Moisés leva seu irmão Aarão, que muitas vezes irá dialogar com o Faraó, buscando a libertação dos judeus da escravidão. Hoje, uma das grandes polêmicas no mundo das pessoas com deficiência é a questão de acompanhantes escolares e mediadores para crianças que as necessitam e escolas que negam esse recurso. Ora, Moisés tinha seu acompanhante: Aarão.

Mas Moshé muitas vezes falou e negociou diretamente com o Faraó, superando suas limitações tendo em vista a grandeza de sua missão. Se não há vergonha em buscar auxílio quando necessário, tampouco é vedada a superação. Até mesmo porque a vida de quem possui alguma deficiência é um exercício constante de superação – mesmo que não lidere um povo!

O midrash mais conhecido sobre os problemas de fala de Moisés diz que o Faraó temia aquela criança, que poderia lhe roubar o trono. Como teste, foi oferecido ao pequeno Moisés, que escolhesse entre a coroa real e um pedaço de carvão ardente. Um anjo teria guiado a mão da criança para o carvão e ele o colocou na boca, queimando a boca e a língua, o que levou os magos egípicios a concluir que a criança não era tão inteligente assim e que não deveriam se preocupar com ela.

Mal elas sabiam o que o futuro reservava a Moshé e a eles, mas rotular e menosprezar uma pessoa por sua suposta “inferioridade”é o começo do caminho para não enxergarmos o seu verdadeiro potencial. No fim da história, foram engolidos pelo Mar Vermelho e por aquele menino que menosprezaram.

Chag Sameach!

1 Comentário a O Líder Gago

  1. Tamara Socolik's Gravatar Tamara Socolik
    27 de abril de 2016 at 15:00 | Permalink

    Marcos, muito bom o texto. A gente é levado a julgar pelas primeiras impressões, pela indumentária, pelo externo, pela máscara. A pressa e a superficialidade do mundo hoje nos leva a isso, às vezes nos obriga. Impede a reflexão. O quanto isso pode ser prejudicial e injusto. Podemos acabar sendo engolidos pelo mar.

Deixe um Comentário

Outros Artigos de Marcos Weiss Bliacheris

Inclusão se aprende em comunidade

06.08.2018

A inclusão se aprende na prática, vivendo. Ninguém aprende a incluir somente nos livros. Existe a teoria, mas nada...

O LADO JUDAICO DO SUPER BOWL LII

03.02.2018

Neste domingo, 04 de fevereiro, será jogada a 52ª. edição do Super Bowl que coloca em campo o New...

Extraordinário

27.12.2017

Está em cartaz nos cinemas o filme “Extraordinário”, baseado no livro homônimo. Estrelado por Owen Willians e Julia Roberts,...

Chalá redonda

20.09.2017

Rosh Hashaná é uma festa cheia de símbolos mas um que me fascina é a chalá agulá. Esta foi...

Ano Novo das Árvores

10.02.2017

No próximo dia 11 de fevereiro , no dia 15 do mês de Shvat do calendário hebraico, comemoramos o...