Blogs

Leniza Kautz Menda

Moacyr, nós te abraçamos, mihões

24.02.2016

Moacyr, nós te abraçamos por teres sido o grande escritor que foste, um contador de histórias muito criativo, inspirado desde a mais tenra infância pelo amor aos livros e pelo incentivo de tua mãe, dona Sara.

Moacyr, nós te abraçamos por teres sido um escritor tão prolífico, por teres abordado os mais diferentes gêneros literários, desde romances, contos, ensaios, ficção infanto-juvenil e textos para a imprensa.

Moacyr, nós te abraçamos por teres tido uma imaginação fértil, mesclando, em tuas obras, elementos do cotidiano com toques surrealistas e de realismo mágico.

Moacyr, nós te abraçamos por teres descortinado os principais elementos e valores da cultura judaica, a ética que permeia o judaísmo bem como a vinda dos imigrantes europeus e a difícil, mas calorosa, recepção que tiveram nesse glorioso Brasil.

Moacyr, nós te abraçamos por teres criado personagens inesquecíveis e que ficarão para sempre no imaginário popular. É impossível esquecer Mayer Guinsburg, o D.Quixote, que, mesmo lutando solitariamente e enfrentando inúmeras oposições, queria estabelecer uma colônia socialista em um bairro de Porto Alegre. Como esquecer Guedali, um misto de ser humano e centauro, um personagem que reflete a ambigüidade do ser humano, os conflitos existenciais e a dupla identidade judaica? Como esquecer a feiosa esposa do rei Salomão que, com sua cultura e sabedoria, escreveu a Bíblia?

Moacyr, nós te abraçamos por teres sido o imortal da Academia Brasileira de Letras, o médico sanitarista disposto, sempre, a contribuir, com teus artigos, para a melhoria do estado físico e emocional das pessoas.

Mas, Moacyr, nós te abraçamos, sobretudo, por teres sido um ser humano muito “mensch”, sempre solícito e cordial, sempre disponível para responder aos e-mails, elogiar a quem elogiava as tuas obras, ressaltar o carinho demonstrado a ti com agradecimentos no jornal e manifestações de apreço aos leitores, familiares e amigos.

Enfim, Moacyr, nós te abraçamos, milhões!

 

Deixe um Comentário

Outros Artigos de Leniza Kautz Menda

Sabina Berman , uma escritora judia mexicana

06.03.2017

Sabina Berman, uma escritora judia mexicana, escreveu, entre outros livros, o excelente “ La mujer que buceó dentro del...

O Tribunal da Quinta- Feira

23.12.2016

O livro de Michel Laub, “ O Tribunal da Quinta-Feira, nos surpreende pela atualidade de seus temas, entre os...

Rindo do Trágico: o humor na literatura israelense contemporânea

03.11.2016

Segundo Amós Oz: “ Comédia e tragédia são duas janelas para ver a mesma realidade”. Um dia, elas se...

Sholem Aleichem: o Escritor do Povo Judeu

19.09.2016

No dia 13 de maio deste ano ocorreu o centenário de morte do famoso escritor Solomon Rabinovitch, mundialmente conhecido...

De Amor e Trevas, o filme

16.05.2016

O filme, baseado na obra de Amós Oz, transporta para a tela do cinema momentos significativos da autobiografia desse...