Blogs

Wremyr Scliar

Professor de Direito Administrativo (PUCRS), Doutor, Mestre e Especialista em direito.Conselheiro substituto emérito aposentado do Tribunal de Contas - RS. Comenda Oswaldo Vergara - OAB RS. Primeiro diretor da Escola de Gestão e Controle do Tribunal de Contas - RS.

Maio

27.05.2016

Maio é um mês relevante na História da Humanidade.

Em várias épocas, num curto espaço de tempo, importantes acontecimentos marcaram esse mês.

Vale relembra-los.

Primeiro de Maio – Dia do Trabalhador

Em Chicago, um incêndio em um fábrica de confecções no século XIX deixa várias operárias mortas. As portas do prédio estavam trancadas por fora e as operárias haviam ocupado a fábrica em um protesto pelas desumanas condições de trabalho, como tempo de jornada de trabalho que superava 12 horas diárias, horário noturno, trabalho de empregadas grávidas, reduzida remuneração.

Alguns jornalistas investigaram os fatos e concluíram que o incêndio fora proposital causado pelo dono da fábrica e o prédio fora trancafiado propositadamente,

Um assassinato coletivo, em resumo.

A data ficou marcada como o dia do trabalhador e  acabou disseminada e adotada em muitos países. Exceto nos Estados Unidos.

Em outros lugares, eufemisticamente é designada como dia do trabalho, ignorando os fatos históricos e a causa de sua escolha como repúdio à exploração do trabalho humano e homenagem à essas e todas as vítimas de violência no trabalho.

Primeiro de Maio – a tomada de Berlim

Em primeiro de maio, último da II Guerra Mundial na Europa, as tropas soviéticas tomam definitivamente Berlim, hasteiam a sua bandeira sobre os escombros da sede do Reichtag.

A data marca o reencontro com a paz, a derrota do nazismo e fascismo e o início de um novo período da História da Humanidade.

Um fato naquela semana posterior, agora revelado, mostra-se igualmente eloquente e emocionante: a rendição é firmada em 8 de maio e no dia seguinte, Berlim ocupada pelos soviéticos revela a existência de um hospital judaico intacto (as tropas russas não atacaram hospitais ou museus) expropriado pelos nazistas. Nele ainda restava o local de uma pequena sinagoga.

O comandante da ocupação de Berlim reúne todos os judeus que pudessem ser encontrados na cidade (estavam em porões) assim como os que ao longo da marcha libertadora haviam acompanhado as tropas vitoriosas. Naquela pequena capela é oficiada uma cerimônia religiosa judaica ordenada pelo comandante soviético e organizada e conduzida por um rabino, oficial e capelão do exército soviético vitorioso.

Um fato de profundo significado que reacende luzes sobre a verdade histórica – em Berlim libertada se realiza a primeira homenagem aos judeus vítimas da barbárie nazista.

A independência de Israel

Maio também assinala a independência de Israel.

O mês é antecedido em quase meio ano pela histórica assembleia geral – quando é partilhada a Palestina -, da nascente Organização das Nações Unidas, cuja primeira sessão deliberativa foi presidida por Oswaldo Aranha, ex-ministro do Estado Novo e agora residente nos Estados Unidos em atividades acadêmicas. Com a morte repentina do embaixador brasileiro, a própria ONU convida Aranha para presidir aquela sessão – e com isso cria-se a tradição de um representante brasileiro inaugurar as sessões anuais daquele organismo.

Oswaldo Aranha conduz com extrema habilidade diplomática e política os debates, adiando a primeira votação ao perceber que ela seria desfavorável à partilha da  – com os votos contrários do Reino Unido e França e a divisão que havia no gabinete de Truman, presidente americano.

Aranha, com sagacidade mas também firmeza, somente coloca em votação quando possui os votos favoráveis à partilha.

Logo após a votação, declara que jamais foram imparcial e conduzira os trabalhos na assembleia geral para que o resultado fosse aquele que conseguiu: a partilha seguiria no caminho da proclamação da independência e do Estado de Israel.

Primavera de maio

Na primavera de maio, Chicago, Berlim, Nova York e Israel: a humanidade conquistou novos valores civilizatórios nos direitos do homem e do cidadão.

Deixe um Comentário

Outros Artigos de Wremyr Scliar

Danúbio Gonçalves – o pintor gaúcho e o Gheto de Varsóvia

23.04.2019

Danúbio Gonçalves,  pintor gaúcho, nascido em Bagé,   muralista, gravurista e professor de pintura, morreu aos  96 anos em 21...

As duas irmãs de Renoir – o Holocausto assassinou uma obra de arte

23.04.2019

Em 19 de abril de 1943, os judeus do gheto de Varsóvia se insurgiram contra o nazismo. Lembrar esses...

A Libertação de Auschwitz

21.01.2019

Os quatro batedores ucranianos do exército soviético romperam, em 31 de janeiro de 1945,  as correntes do portão do...

O LEGADO DA BÍBLIA HEBRAICA NA DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM – 1948

12.11.2018

Comemora -se em   10 de  dezembro setenta anos da DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM aprovada pela recém criada...

As Últimas Testemunhas

28.09.2018

SVETLANA ALEXSIEVITCH está de volta às estantes das livrarias com AS ÚLTIMAS TESTEMUNHAS – CEM HISTÓRIAS NÃO INFANTIS, editora...