Blogs

Nurit Masijah Gil

Sou paulista e moro em Porto Alegre há tempo suficiente para não lembrar da vida antes do ‘bah’. Publicitária, pós graduada em marketing, mãe de duas crianças incríveis (desculpem, foi irresistível), empresária e com desejos literários, meu objetivo nesta coluna é sensibilizar nossa sociedade com informação para desconstruir esterótipos e diminuir preconceitos. Parece utopia, mas prefiro acreditar não passa de um bom desafio.

A gente sai do shtetl, mas…

08.08.2016

– Mãe, será que no almoço de domingo eu posso trazer uma pessoa?

“Uma pessoa”. Com tão vaga referência, a família empalidece diante do olhar subitamente marejado de Rebeca.

– Uma pessoa, filho. Que pessoa?

– Minha namorada.

– Está sério a ponto de apresentá-la para sua família? Senão continuem saindo, aproveitem a juventude. Não precisa chamar de namoro, imagina.

– Sim, mãe, estamos namorando firme.

– Filho, você está terminando a faculdade de medicina, dê tempo ao tempo.

– Acho que vocês gostarão da Aline.

– Sei. E essa sua “namorada”, – ironizou Rebeca fazendo sinal de aspas com as mãos – por acaso, é das nossas?

– Das nossas?

– Judia ou gói, Arthur?

– Judia, mãe.

– Ah. Bom. Qual o sobrenome?

– Roschenberg.

– Parente do Celso Roschenberg?

– Celso é o filho do Aron? Pergunta o pai que, passado o furacão inicial, sente que já é seguro participar da conversa.

“O Aron das Casas Matriuscas? Ele tinha mais duas filhas, uma delas a Anete, casou com um dentista – acho que o nome era Maurício Finestajn – e foi viver no interior de São Paulo. Deixou a mãe, Frida, desolada, coitada. Não, acho que o Celso era filho do irmão do Aron, o Rubens, aquele que casou com a Nina, neta da família Tegnubaum. Ela era uma mulher linda, que D’us a tenha, mas deu um trabalho danado para o marido, todos comentavam na comunidade, lembra? Se o Celso for filho dela, espero que nenhum dos descendentes herde aquela genética. Sim, e a Ruth Rosenthal é esposa do irmão do Celso, o… Qual é mesmo o nome dele? Isso, o Max. O Max tornou-se um médico muito renomado, é ele quem atende a Lina Kasinsky. Eles tem duas filhas, uma delas cursa direito com o David, neto da Clarinha Strauzer. O filho da Clarinha fechou a confecção, está sabendo? Pois é, uma tristeza. Mas a filha do Max não é aquela casada com o sobrinho do Denis Rubistajn? É, o Denis, primo da Mirta, lembra que fomos convidados para o casamento? Uma festa belíssima, inclusive.”

– Não acredito! Traga a Aline sim. Peça para ela vir com os pais e os avós. O avô dela era muito amigo de papai. Preciso ligar para a Mirta e contar as boas novas. Meu filhinho está namorando!

Deixe um Comentário

Outros Artigos de Nurit Masijah Gil

Vivendo em Israel: Ulpan e inspiração

30.01.2018

Primeira história: Ela tinha as portas dos armários forradas de poesia porque queria saber declamar de cor – talvez...

Jerusalém, capital de Israel

08.12.2017

No dia em que EUA reconheceu oficialmente Jerusalém como capital de Israel… O despertador tocou cedo. Lá fora, o...

Perfumando a memória

24.10.2017

Sou brasileira apesar deste país tropical ter estampado a capa do passaporte de poucas gerações da família. Como qualquer...

Viver Israel

12.09.2017

A escolha deste país pode parecer fazer todo o sentido. Claro que faz. Mas ela habita muito além do...

Taly e Beny

19.04.2017

Taly e Beny, Choveu hoje cedo e acordei durante a madrugada pensando se os levaria para a escola. Se...