Notícias

Conib lamenta voto do Brasil em resolução da UNESCO sobre Jerusalém

14.10.2016

A Confederação Israelita do Brasil lamenta o voto da delegação brasileira na UNESCO, nesta quinta-feira (13) em Paris, a favor de resolução que altera texto anterior, que ignorava os laços dos judeus com seus locais religiosos mais sagrados: o Monte do Templo e o Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém.

A nova resolução afirma que a Cidade Velha de Jerusalém e seus muros são importantes para as três religiões monoteístas. Leia o texto. No último mês de abril, a resolução adotada falava apenas dos laços muçulmanos com tais locais. No entanto, o novo texto continua condenando Israel por “manter escavações arqueológicas em torno da Cidade Velha” e “restringir o acesso à mesquita de Al-Aqsa”.

Na realidade, o texto hoje votado procura diminuir as conexões judaicas com a cidade de Jerusalém e trata o Monte do Templo, onde foram erguidos dois templos judaicos na Antiguidade – e o próprio Muro das Lamentações – como locais, na prática, sem conexão com o judaísmo.

Esta resolução promove um inaceitável revisionismo histórico, negando fatos e registros abundantes do caráter judaico de tais locais”, diz Fernando Lottenberg, presidente da Conib. “Ao votar a favor desse texto, o Brasil não manteve o equilíbrio que vinha adotando em relação à região”, completa Lottenberg, que vê com preocupação o fato de a UNESCO, com periodicidade semestral, colocar assuntos visando desgastar a imagem de Israel, que em nada contribuem para o entendimento das partes em conflito.

Na votação preliminar ocorrida hoje, dos 58 membros da Comissão Executiva da UNESCO, 24 países votaram a favor da moção, entre os quais o Brasil e o México; 26 se abstiveram, entre os quais França e Argentina; e seis votaram contra: Alemanha, Estônia, EUA, Reino Unido, Holanda e Lituânia. A votação de ratificação ocorrerá em 17 ou 18 de outubro.

A Conib reconhece que houve um pequeno avanço no texto da resolução, mas lamenta a posição do Brasil, ainda que o voto brasileiro tenha considerado o texto da resolução “inadequado”.

Esta é a justificativa do representante brasileiro na UNESCO: “A delegação do Brasil votou a favor da decisão sobre a Palestina ocupada, porque o texto, embora inadequado, representa um avanço em relação àquele aprovado no 199º Conselho Executivo da UNESCO. Ao reconhecer os vínculos históricos de cristãos, judeus e muçulmanos com a Cidade Velha de Jerusalém, com Belém e com Hebron, dá um primeiro passo rumo a uma abordagem isenta e construtiva sobre o tema. O Brasil considera importante ver tais vínculos expressos no artigo terceiro da decisão e julga que as preocupações do governo brasileiro expressas em junho passado começam a ser atendidas. Ainda assim, continuaremos trabalhando, aqui e em outras organizações internacionais, para que as próximas decisões sejam de fato equilibradas e imparciais. Vemos com especial preocupação decisões de organismos internacionais que culpam apenas um dos lados pelo ciclo de violência na região”.

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, manifestou-se no passado contra tais resoluções, afirmando: “Negar ou esconder quaisquer das tradições judaicas, cristãs ou muçulmanas mina a integridade do local, e contraria os motivos que justificaram a inscrição da Cidade Velha na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1981.

 

Fonte: CONIB

Leia Mais

FIRS participa da Mesa Diretora do Pacto Alegre

A FIRS participou, na última terça-feira (26), de reunião do movimento Pacto Alegre, que visa transformar Porto Alegre em...

Leia mais

29.03.2019

Comunidade Judaica convida estudantes para Feira das Universidades Israelenses

Estudantes de Porto Alegre tem atividade confirmada para ampliação do currículo profissional e acadêmico. No dia 10 de abril,...

Leia mais

29.03.2019

Novo júri de três acusados por ataque a judeus em 2005 é realizado em Porto Alegre

Começou na manhã desta quinta-feira (21) o novo júri de mais três acusados de atacar um grupo de judeus no bairro...

Leia mais

22.03.2019

Federação Israelita do Rio Grande do Sul lamenta atentado à Mesquitas na Nova Zelândia

Com profundo pesar, a Federação Israelita do Rio Grande do Sul manifesta suas condolências aos familiares e vítimas do...

Leia mais

22.03.2019

FIRS recebe secretário de Ciência e Tecnologia

Na manhã de sexta-feira, 15 de março, a diretoria da Federação Israelita do Rio Grande do Sul (FIRS) recebeu...

Leia mais

22.03.2019