Notícias

Porto Alegre organiza Comemoração de Purim Comunitária

15.03.2016

As entidades judaicas de Porto Alegre estão unidas organizando a comemoração de uma das mais alegres datas do calendário judaico: A Festa de Purim.

Celebrada todo ano no dia 14 de mês judaico de Adar, neste ano correspondente ao entardecer do dia 23 de março, Purim, que significa “sorteio”, comemora a salvação do povo judeu na antiga Pérsia da trama do então Ministro do Reino, chamado Haman, que movido por forte sentimento antissemita arquitetou um plano “para destruir, matar e aniquilar todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres, num único dia.” A fonte desta festividade está no Livro Bíblico de Ester.

Para comemorar a data, as entidades judaicas de Porto alegre estão preparando, para o dia 23 de março, uma grande comemoração para toda a Comunidade Judaica. O evento será realizado na sede Bom Fim do Clube Hebraica-RS, na Rua Gen. João Telles, 508, a partir das 18h45, quando acontecerá um debate sobre o significado e os valores da festa, às 19h30 será feita a leitura da Meguilat Esther (a História de Esther), o escrito que é lido ritualisticamente nesta data que será coordenada pelos rabinos e Líderes religiosos das sinagogas Centro Israelita, Centro Hebraico, SIBRA e União Isrealita. Às 20h30 inicia a festa que contará com comidas típicas, danças folclóricas, fantasias e muita confraternização. A entrada é franca.

A história de Purim resumida:

O império persa do 4º século AEC abrangia mais de 127 países, e todos os judeus eram seus súditos. Quando o Rei Achashverosh organizou um desfile de beleza para encontrar uma nova rainha. Uma moça judia, Esther, foi a escolhida e tornou-se a nova esposa do Rei – embora ela não tenha revelado qual era sua origem.

Nesse interim, o antissemita Haman foi nomeado primeiro ministro do império. Sua ambição era grande Haman tinha um plano de envenenar o Rei a assumir sua coroa. Mordechai, o líder dos judeus e tio de Esther, soube através de um dos serviçais do palácio sobre o plano de Haman e recusou a inclinar-se perante ele quando o encontrou. Haman ficou ofendido e convenceu o rei a emitir um decreto ordenando o extermínio de todos os judeus em 13 de Adar – data escolhida por um sorteio feito pelo ministro.

Mordechai então conta a Esther sobre Haman e  pede que ela conte ao rei. No banquete em que Haman pretendia envenenar o rei Esther então desmascara o plano do ministro, salva a vida do rei  e revela sua identidade judaica. Haman foi enforcado, Mordechai foi nomeado primeiro ministro no lugar dele, e foi emitido um novo decreto – concedendo aos judeus o direito de se defenderem contra seus inimigos.

Costumes da Festa

O Jejum de Ester – Um dia antes de Purim é um dia de jejum que comemora o jejum feito por Ester e todos os Judeus Persas antes da aproximação de Ester do Rei Achashverosh para suplicar por seu povo. Diferente dos jejuns do Dia da Expiação e de Tisha B’Av, mas similar a outros dias de jejuns menores, o jejum de Ester começa ao amanhecer do dia e termina no pôr-do-sol.

A Leitura do Livro de Ester – Na noite de Purim e na manhã da festividade, o Livro de Ester é lido em voz alta na sinagoga. A leitura de Ester é um evento social muito alegre, pois a cada menção ao perverso Haman, que se tornou sinônimo de maldade com todos os outros que tentaram ir contra os Judeus, os congregados e especialmente as crianças tentam abafar o seu nome, sacudindo um tipo de reco-reco, apitos ou fazendo barulho.

Refeição Festiva – Após o jejum faz-se uma refeição festiva, com jogos e outros divertimentos que vão até tarde da noite.

Presentes com comidas diferentes – Como parte da alegria desta festa, os Judeus tem o hábito de preparar cestas com presentes e mandá-las a seus amigos e vizinhos, e também de dar dinheiro aos pobres.
Fantasias – Este costume de vestir máscaras e fantasias desenvolveu-se na Idade Média, aparentemente influenciado por carnavais locais. As crianças pequenas têm um especial interesse neste aspecto da festa e podem ser vistas nas ruas vestindo suas fantasias.
Orelhas de Haman – uma tradicional iguaria de Purim: massa triangular (semelhante a orelhas) recheadas com sementes de papoulas e muitos outros tipo de recheios doces.

Nos dias que precedem Purim e o próprio dia da festa, Israel fica inundado de uma atmosfera alegre. As ruas ficam cheias de crianças fantasiadas, e as lojas vendem acessórios brilhantes e coloridos para a festividade, e há festas onde os adultos também se fantasiam. Um tradicional evento de longa data, da época dos assentamentos Judaicos restabelecidos em Israel, é o desfile de Purim através das ruas da cidade. Antigamente o desfile acontecia em Tel Aviv, mas hoje em dia existem desfiles em todo o país. O maior e mais impressionante deles é feito ao sul de Tel Aviv, em Holon, uma cidade que nos últimos anos desenvolveu a reputação de ser muito amigável com crianças.

 

Leia Mais

Comissão da Câmara dos Deputados aprova direito do aluno se ausentar de prova por motivo religioso

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou proposta que regulamenta a aplicação...

Leia mais

07.12.2018

Sobreviventes do Holocausto celebram Chanucá pelo mundo

Em noite especial da tradicional festa das luzes, sobreviventes do genocídio homenageiam os cerca de 6 milhões de judeus...

Leia mais

07.12.2018

Bolsonaro recebe embaixador de Israel na Granja do Torto

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, recebeu integrantes da sua equipe e o embaixador de Israel, Yossi Shelley, na Granja...

Leia mais

30.11.2018

Nelson Sirotsky e Letícia Wierzchowski fazem tarde de autógrafos de seu livro no auditório da FIRS

*por Marili Scliar Buchalter   No entardecer do dia 26 de novembro, no auditório da FIRS, o Departamento Cultural...

Leia mais

30.11.2018

FIRS participa da 49ª Convenção da CONIB

A Conib realizou, entre os dias de 23 a 25 de novembro em São Paulo, sua 49ª Convenção Anual, com...

Leia mais

30.11.2018