Blogs

Fabio Lavinsky

Ame a Paz e Persiga a Paz!

20.07.2016

Os desfechos dos casos de antissemitismo amplamente divulgados na mídia (inclusive israelense) ocorridos na Universidade de Santa Maria e recentemente no edital da Universidade do ABC são dois “cases” de imenso sucesso. Recentemente o Haaretz divulgou o pedido de desculpas do reitor da Universidade do ABC.

Saúdo a condução destes casos complexos e acredito ser fundamental que dois princípios judaicos estejam sempre norteando as tentativas de resoluções de questões semelhantes futuras: “Ohev Shalom veRodef Shalom” (ame a paz e a persiga) e “Tshuva”.

“Tshuva” no sentido de arrependimento e de desculpas. Acredito que sempre temos que dar uma chance para as pessoas e para as instituições se retratarem e retificarem rotas erradas. O antissemitismo é algo que coletivamente carregamos há mais de 3500 anos de história. Muitos que proferem injúrias antissemitas o fazem devido a falta de informação, má avaliação e também ao efeito manada muito exacerbado com o advento das redes sociais. Muitos, quando se conscientizam que seu discurso está errado buscam a desculpa e se arrependem. Temos que dar a oportunidade desta retratação para todos e preservar nossa energia para contrapor pessoas ou grupos antissemitas enraizados e crônicos.

O segundo principio é : “Ohev Shalom ve Rodef Shalom”- (ame a paz e a persiga, Prikei Avot 1:12). Sempre temos que tentar a paz. Esgotar a paz até a ultima tentativa. Na Haftará da ultima Parashat Hashavua (passagem semanal) nos é contatada a história de Iftach Haguiladi. Ele foi o juiz que iria guerrear e salvar o povo judeu do jugo dos Amonitas. Porém, mesmo sabendo que a vitória com Hashem estaria garantida, ele tentou dissuadir Amon. Mandou emissários que relataram todas as vitórias fantásticas que o povo hebreu teve contra aqueles que tentaram destruí-lo. Esta foi uma tentativa de evitar o conflito desnecessário pois não era parte do escopo de conquista do povo. Esta passagem ilustra muito bem este valor de almejar quase que compulsivamente a paz e consequentemente a vida. Nunca podemos torcer e quebrar uma mão que nos é estendida para a paz. Mesmo que esta mão já tenha nos machucado.

O novo antissemitismo está vigente a todo vapor e apresentando novas vestimentas, novos agentes, novos discursos, porém com o mesmo padrão de ódio milenar. Parte fundamental da luta para sobrepuja-lo é saber fazer a paz e auxiliar todo aquele individuo ou instituição que refutar inequivocamente todas as formas de antissemitismo.

Deixe um Comentário

Outros Artigos de Fabio Lavinsky

Um Novo Monstro: o “Neo-Negacionismo” do Holocausto

25.01.2017

Uma das maiores dificuldades do coletivo humano é entender o surgimento de novos padrões. Para o nosso conforto mental,...

O FÊNOMENO DO “LIBELO CONTRA A TERRA (DE ISRAEL)”

27.06.2016

“והאנשים אשר-שלח משה לתור את-הארץ וישבו וילינו עליו את-כל העדה להוציא דבה על הארץ. במדבר יד:לו” “E os homens...

Terra Por Paz: Esta Fórmula Ainda É Possível? (TEXTO ESPECIAL DE PESSACH)

22.04.2016

O trágico conflito Israelense-palestino teve um momento de grande esperança onde muitos acreditavam que o seu término era possível e iminente:...

Algumas Ilusões de Óptica do Conflito Israel-Palestinos

25.01.2016

לֹא תַעֲשׂוּ עָוֶל בַּמִּשְׁפָּט לֹא תִשָּׂא פְנֵי דָל וְלֹא תֶהְדַּר פְּנֵי גָדוֹל בְּצֶדֶק תִּשְׁפֹּט עֲמִיתֶךָ ויקרא פרק יט, פסוק...

As Controvérsias da Nomeação do Embaixador Dani Dayan

27.12.2015

Dificilmente me recordarei de uma questão tão multifacetada e tão complexa como a nomeação do Embaixador Dani Dayan e...